Seguindo esses 5 passos simples você poderá construir a presença online de sua microempresa sem dor de cabeça

No Brasil, 62% das microempresas não possuem site, de acordo com levantamento realizado pela GoDaddy no ano de 2015. Em adição a isso, e ainda de acordo com a pesquisa, 25% afirmou que não possui site por falta de conhecimento técnico. Porém, conhecimento técnico já não deveria mais ser um desafio, pois existem muitas soluções no mercado que são simples de usar e acessíveis, desenhadas especialmente para micro e pequenos empreendedores que querem uma presença online e pretendem colocar as próprias mãos na massa.

Vale lembrar que ferramentas sozinhas não criam uma presença digital marcante, pois o conteúdo tem um importante papel no seu sucesso online, tanto que uma campanha de e-mail marketing bem pensada, por exemplo, pode gerar 43 dólares a cada 1 dólar gasto, de acordo com um relatório de 2013 levantado pela Direct Marketing Association. De qualquer forma, dar o start de sua microempresa no mundo digital pode ser um processo muito mais prático do que você imagina, principalmente se seguir os passos abaixo:

  1. Escolha um nome de domínio

O nome de domínio é a identificação da sua marca e funciona como os letreiros de lojas físicas: fica logo na entrada e é a primeira coisa que o cliente vai ver e lembrar. Por isso, deve ser algo que represente sua empresa de forma clara, sucinta e memorável. O ideal é escolher algo curto e fácil de lembrar, que se relacione diretamente ao seu negócio. Além disso, faça-o atemporal: referências muito atuais como ano ou grandes acontecimentos pontuais se tornam ultrapassados depois de um tempo, deixando sua marca fora de época.

Não reprima sua criatividade: o nome do seu negócio pode ser estranho. Palavras fortes e curtas são fáceis de lembrar, então, às vezes, inventar é a melhor opção. Vale destacar que, muitos nomes de domínios já estão em uso, principalmente com a terminação .com.br, por isso, vale apostar em alternativas como o .com ou as novas opções: .website, .ltda, etc. A escolha das novas terminações pode estar diretamente relacionada ao seu negócio e funcionar como uma forma de branding, por exemplo se estiver relacionado a sua área de atuação (.book, .music, .cafe).

  1. Registre seu domínio

Uma vez com o nome, falta registrar. O registro garante sua identidade de marca, impedindo que outras pessoas a adquiram. Para registrar lembre-se de utilizar informações precisas e atuais, coloque um endereço de e-mail que tenha acesso com frequência, pois receberá notificações quanto à renovação do registro, pois se perder o prazo, ele será público e estará disponível para qualquer pessoa compra-lo.

Outro detalhe importante é que registrar apenas um domínio não é o suficiente. Previna-se e registre variações de seu nome de domínio, com outras terminações e grafias, para evitar que surja um negócio quase igual ao seu na Internet e cause confusão nos clientes.

Considere registrar privado, pois, uma vez que você registra um domínio, suas informações ficam disponíveis para consulta, caso alguém queira saber quem é o criador daquele site. Dentre as informações abertas estão seu nome completo, endereço e telefone. Isso pode se tornar um problema, se pessoas mal intencionadas tiverem acesso a esses dados, por isso o registro privado é uma opção viável. A privacidade de domínio vai garantir sua segurança, impedir spams e evitar roubo de identidade.

Portanto, ao invés de visualizarem suas informações pessoais, as pessoas verão as informações da empresa com a qual você registrou seu domínio anônimo.

  1. Crie um site

O site é a voz do seu negócio: lá estarão as informações institucionais, sobre seus serviços e produtos, contatos e entre outros dados de fácil acesso e visualização. Por isso, também pense mobile-friendly: o uso de dispositivos móveis só tende a crescer. No primeiro trimestre de 2015, no Brasil, 68,4 milhões de pessoas utilizavam a Internet pelo celular, segundo a pesquisa Mobile Report, da Nielsen IBOPE, isso, ainda de acordo com o levantamento, representa um crescimento de aproximadamente 10 milhões se comparado ao trimestre anterior. Sabendo disso, seu negócio deve acompanhar esse movimento e ter uma boa visualização mobile.

Seja encontrado, use SEO (Search Engine Optimization). A estratégia de SEO é simples e gratuita: basta repetir as palavras chaves que têm a ver com seu negócio em seu site (nas descrições de produtos, área institucional, etc), de forma coerente, para que sites de busca te encontrem rapidamente e você esteja entre os primeiros resultados.

Desapegue da ideia de que precisa ter conhecimentos técnicos, afinal, existem muitas ferramentas disponíveis que são grátis ou muito baratas. Para um passo inicial, essas ferramentas bem acessíveis e simples são ideais, com o tempo, no entanto, conforme seu negócio for crescendo e, consequentemente seu site for se desenvolvendo e se tornando mais complexo, vale contratar um desenvolvedor para aplicar funções mais elaboradas.

  1. Redes sociais são suas aliadas

Promover sua marca através de redes sociais é gratuito e incentiva a interação com clientes. Páginas em redes como o Facebook geram compartilhamentos, que funcionam como indicações de que sua marca é de qualidade. Por isso é muito importante que você alimente as redes com informações sobre seu negócio e sobre seu mercado de atuação. Não utilize esses canais apenas para se autopromover: use e abuse do Marketing de conteúdo e comente sobre fatos atuais e novidades de seu setor. Com esse tipo de conteúdo você pode se tornar uma referência no segmento em que atua e gerar interação entre usuários. Além disso, as mídias sociais podem ser conectadas ao seu site e vice-versa, tornando seu negócio online totalmente integrado.

  1. Conecte-se com seus clientes

Mantenha a comunicação com seus clientes ativa. O E-mail Marketing é uma estratégia que funciona: como já mencionado, para cada 1 dólar gasto, há um retorno de 43 dólares, com uma campanha consistente (relatório de 2013 da Direct Marketing Association). Por isso, coloque ofertas, novidades e pesquisas de satisfação, que fazem com que o cliente não se esqueça de você, além de promover interação e feedback. Com uma caixa para que seus visitantes do site adicionem seus e-mails você logo terá uma lista de e-mails de clientes seus, que fizeram negócios com você, ou compraram seus produtos, ou que podem ser clientes potenciais. Afinal, se já houve interação, maior a chance de retorno. Listas de e-mails prontos não é uma boa ideia, pois podem ter muitos e-mails não atualizados e não segue nenhuma lógica de perfil de consumidor, o que resulta em gasto de tempo e dinheiro desnecessários.

Uma campanha congruente de e-mail marketing se baseia em: conteúdo, título e periodicidade. Segmente seus clientes por perfil e evite oversharing: não mande muitos e-mails no mesmo dia, ou correrá o risco de virar spam.

Seguindo essa lista de 5 passos, a entrada da sua empresa na Internet pode ser simples e rápida, desmistificando a ideia de que para estar online é preciso ter conhecimentos técnicos. Hoje em dia, todo mundo tem a capacidade e as ferramentas na ponta dos dedos pra estar no mundo digital.

Cristiano Mendes

 

Receba minha newsletter com novos artigos!